Post Roll Comunicação e Marketing Digital

Copyright © 2020 Martins & Bueno

Todos os direitos reservados

mbrh@mbrh.com.br | (31) 3194-3300

Av. do Contorno, 5417 - 6º e 9º andares

Belo Horizonte, MG - CEP 30110-925

  • Facebook Martins & Bueno
  • LinkedIn Martins & Bueno
  • Instagram Martins & Bueno
Please reload

Posts Recentes

Empresas usam Tik Tok, WhatsApp e outras redes sociais para recrutar: como se preparar?

February 18, 2020

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

Os 6 erros de networking mais comuns e como evitá-los

January 31, 2020

 

Uma pesquisa realizada pela consultoria The Adler Group, em 2016, revelou que cerca de 85% das vagas de emprego são preenchidas por meio de networking. O levantamento, realizado com cerca de 3 mil pessoas, também concluiu que muitas delas não possuíam as qualificações ideais para os cargos que ocupavam. Nesses casos, as indicações foram cruciais para a empregabilidade desses profissionais.

 

Segundo o estudo, apenas 15% das vagas estão ao alcance daqueles que não se empenham em fazer networking. Essas oportunidades podem ser conquistadas pelos processos seletivos tradicionais. A concorrência, entretanto, pode dificultar a vida de quem está à procura de recolocação profissional.

 

Por essas e outras, o networking é essencial para todos que desejam obter sucesso no mundo corporativo. Mas atenção: se feito incorretamente, ele pode ter o efeito contrário, prejudicando a sua vida profissional. Para evitar que erros sejam cometidos nesse processo, a consultora Jill Hugget escreveu um artigo com as seis falhas mais comuns e como evitá-las:

 

Você usa o e-mail como seu principal canal de networking

 

O e-mail é extremamente útil em diversas ocasiões. Ele permite, por exemplo, que interações rápidas sejam realizadas com comodidade e rapidez. Entretanto, ele dá abertura para interpretações equivocadas.

 

O objetivo de uma rede de contatos é coletar informações sobre o mercado de trabalho e criar notoriedade em torno da sua figura e de suas habilidades. Portanto, uma aproximação impessoal, como os e-mails, pode não ser tão efetiva. Em vez disso, priorize conversas mais íntimas.

 

Isso não precisa ser feito presencialmente. Chamadas de áudio e vídeo costumam ser bastante efetivas. Dessa forma, você consegue manter uma interação vívida, trocar energia e transmitir informações com mais eficácia.

 

Seus e-mails são muito longos

 

O mundo corporativo está em constante mudança e evolução. É de se esperar que os executivos de sucesso, com os quais você vai querer manter uma relação profissional estreita, sejam pessoas bastante ocupadas.

 

Caso seus e-mails sejam muito longos e exaustivos, a probabilidade da outra pessoa os ler por inteiro e responder é muito baixa. Em contatos desse tipo, seja curto e objetivo.

 

Seu único objetivo é discutir oportunidades

 

Isso pode soar contraintuitivo, mas solicitar uma reunião apenas para discutir oportunidades de trabalho é uma péssima forma de abordagem. Em muitos casos, esse pedido será respondido direcionando você ao site da empresa ou a uma agência de recrutamento.

 

Em vez disso, durante a abordagem, peça alguma informação. A maioria das pessoas gosta de contar a própria história ou conversar sobre assuntos de seu interesse. Isso não significa que você deve esconder o fato de que está à procura de emprego, mas apenas que essa não deve ser sua prioridade quando entrar em contato com outros profissionais.

 

Você só conversa com pessoas que já conhece

 

Vamos supor que você mantenha um relacionamento profissional com cinco pessoas, e cada uma delas possua relações com outras dez. O seu alcance total será de cerca de 50 pessoas.

 

Se você está se sentindo inseguro em abordar uma pessoa, pode facilmente pedir para um contato em comum te apresentar. Quanto mais conexões mútuas, maior a probabilidade de você despertar interesse em outros profissionais. Portanto, mantenha networking com o máximo de pessoas possível.

 

Você não pede favores

 

A maioria das pessoas está disposta a te ajudar. Jill Hugget conta que seus clientes tiveram seus pedidos de ajuda aceitos em 90% das vezes. O segredo para o sucesso, nesses casos, é ser explícito sobre o que você deseja. E, acima de tudo, você não deve ter receio de pedir ajuda.

 

Se acha que está sendo muito invasivo, experimente suavizar a sua aproximação com um pouco de cortesia. Diga, por exemplo: “você se sentiria confortável em me ajudar com X?”

 

Você não confirma as próximas etapas

 

Você provavelmente já se encontrou no seguinte cenário: um contato, que acabou de te conhecer, ofereceu-se para te apresentar a outros profissionais. Mas semanas se passaram e nada de receber notícias dele. Você se pergunta se deveria entrar em contato para saber como estão as coisas, mas fica com receio de estar incomodando.

 

No final, isso se torna um círculo vicioso e o seu networking não vai para frente. A solução para esse problema é simples: combine quais serão os próximos passos ao final de suas reuniões. Uma alternativa é dizer: “obrigado, parece que João pode ser uma pessoa muito útil para mim. Se for mais fácil para você, eu posso entrar em contato com ele. Você prefere falar com João ou posso me apresentar como uma indicação sua?”

 

Também deixe claro em quais datas deseja realizar o contato, confirme retornos e marque futuros encontros. Isso irá evitar que pontas soltas sobrem e seu networking fique estagnado.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga